COM A SAÚDE EM COLAPSO, ACRE RECEBE 50 CILINDROS DE OXIGÊNIO DOADOS PELO MP

COM A SAÚDE EM COLAPSO, ACRE RECEBE 50 CILINDROS DE OXIGÊNIO DOADOS PELO MP

Cilindros devem ser enviados para hospitais do interior para atender demanda em hospitais públicos com pacientes com Covid-19. Saúde entrou em colapso no sábado (13) e fez uma lista de transferência de pacientes para Manaus, onde foram abertas duas vagas. Pacientes ainda não foram transferidos para a capital amazonense.

Por Aline Nascimento, G1 AC — Rio Branco.

Com a saúde em colapso devido à pandemia do novo coronavírus, o Acre recebeu, na madrugada deste domingo (14), 50 cilindros de oxigênio doados pelo Ministério Público Estadual (MP-AC) e a empresa Rio Med. Os cilindros chegaram em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).

O governo acreano informou que os 50 cilindros comportam 2,5 mil litros de oxigênio. O material vai ser distribuído entre a rede pública, principalmente para o interior onde não tem usina de oxigênio, para atender a alta demanda nos hospitais.

No sábado (13), o governo confirmou que vai transferir pacientes para a cidade de Manaus (AM) após o sistema de saúde do estado entrar em colapso. Em nota, o Complexo Regulador que presta assistência à Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), disse que a Secretaria de Saúde do Amazonas (SES-AM) disponibilizou dois leitos de UTI para pacientes Covid-19 do Acre.

No mesmo dia, o boletim da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) trouxe mais dez mortes pela Covid-19 e 623 novos casos de infecção pelo coronavírus. O número de infectados saltou de 61.709 para 62.332 nas últimas 24 horas e o de mortes chegou a 1.116 em todo o estado.

Em Rio Branco, o pronto-socorro e o Into-AC, onde funciona o maior hospital de campanha do estado, atingiram a lotação máxima nesse sábado. No PS, todos os 30 leitos de UTI estão ocupados e no Into os 50 leitos estão com pacientes. De acordo com o boletim de assistência, 13 pacientes aguardavam na fila por um leito de UTI e 5 por leitos de enfermaria.

Estado recebeu 50 cilindros doados pelo MP-AC e a empresa Rio Med na madrugada deste domingo (14) — Foto: Júnior Aguiar/Secom

Estado recebeu 50 cilindros doados pelo MP-AC e a empresa Rio Med na madrugada deste domingo (14) — Foto: Júnior Aguiar/Secom

Falta de cilindros de oxigênio

distribuidora que fornece oxigênio para o Acre informou que o produto pode faltar no estado em um prazo de 15 dias devido à alta demanda. A distribuidora fornece oxigênio para as unidades de saúde particulares do estado e públicas do interior. Os três hospitais públicos que são referência no atendimento a vítimas da Covid-19, (dois em Rio Branco e um em Cruzeiro do Sul), têm usinas de distribuição própria de oxigênio.

A possível falta de oxigênio no estado ocorre num momento em que a rede pública e privada enfrentam a superlotação leitos, com recorde em números de mortes.

Na quinta (11), uma aeronave da FAB transportou uma usina oxigênio para obra de ampliação do Into-AC. A Sesacre informou que a usina vai ampliar a oferta de gás no estado. Contudo, não especificou quando ela deve começar a operar. O material foi adquirido por meio de um contrato de locação.

A usina vai ser instalada no antigo prédio do Batalhão de Operações Especiais (Bope), que está em obras. No local, devem ser abertos pelo menos 32 leitos, com possibilidade de serem 10 de UTIs. No Hospital do Idoso também devem ser abertas mais 10 UTIs.

Usina foi levada para o antigo batalhão do Bope, onde vai funcionar uma extensão do hospital de campanha de Rio Branco — Foto: Cedida

Falta do produto nas empresas

À Rede Amazônica, o secretário de saúde, Alysson Bestene, informou que o estado tem um plano de contingência para não deixar faltar o produto na rede pública e privada.

“As nossas unidades de referência de hospital de internação, todas elas fazem uso do oxigênio através de usinas. Os cilindros, uma vez que são utilizados, é para transporte do paciente dentro da unidade ou para outra unidade. A preocupação é em relação à matéria-prima, tivemos uma conversa com as empresas, a White Martins e Oxiacre, e estamos conversando para que se instale aqui no Acre uma usina que envase esse cilindro de oxigênio,” explicou.

Bestene falou ainda que já está sendo providenciado um pedido com uma quantidade maior de cilindros. “Estamos providenciando para que chegue quantitativo de cilindros a mais, uma média de 300 que foi pedido, eles vão encaminhar em torno de 60 a 100 cilindros para que a gente possa ajudar toda a rede, não só pública, mas também a privada”, garantiu.

Empresa postou anúncio na fachada que acabou o oxigênio — Foto: Quésia Melo/Rede Amazônia Acre

Empresa postou anúncio na fachada que acabou o oxigênio — Foto: Quésia Melo/Rede Amazônia Acre

Mesmo a Saúde informando que o produto ainda não acabou no estado, pelo menos duas empresas de Rio Branco suspenderam a venda do produto. A empresa Oxiacre, que fica no bairro Distrito Industrial, em Rio Branco, amanheceu nesta quinta (11) com um aviso dizendo que está suspensa a venda de oxigênio medicinal e industrial. O G1 entrou em contato com a empresa, mas foi informado por um funcionário que o responsável não estava e ele não poderia repassar o contato.

O dono da empresa Oxivida, que preferiu não se identificar, também confirmou que está sem o produto há pelo menos duas semanas.

DA REDAÇÃO DO HOJERONDONIA

Postar um comentário

0 Comentários