CPI da Covid: Ministro da Saúde mente e se contradiz sobre vacinas e Copa América

Rede Brasil

 O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, começou seu segundo depoimento à CPI da Covid, nesta terça-feira (8), com contradições e mentiras sobre a vacinação, a crise da pandemia de covid-19 e também ao defender a realização da Copa América no país. Na abertura de seu depoimento, ele afirmou que o Brasil ultrapassou a marca de 160 milhões de doses de vacina entregues. Segundo ele, 30% da população já recebeu a primeira dose e 14,3% está totalmente imunizada. Assim, segundo ele, o Brasil seria “o terceiro país que mais vacinou no mundo”. Entretanto, os dados foram contestados e corrigidos nas redes sociais.

O jornalista Ricardo Noblat cita os dados da Our World in Data, plataforma alimentada por pesquisadores da Universidade de Oxford, que coloca o Brasil em 66ª posição no ranking global de vacinação na relação por 100 habitantes. Sobre a segunda onda que atingiu o país nos últimos meses, o ministro atribuiu a crise à variante P1, encontrada em Manaus e afirmou que o ministério está reforçando estados e municípios para que não falte insumos. Novamente, a fala de Marcelo Queiroga na CPI da Covid foi desmentida.
O também jornalista Kennedy Alencar lembra que o ministro está há dois meses na Saúde e que o aumento de casos e mortes pelo vírus também está em sua conta. “Segunda onda se deveu à negligência homicida de Bolsonaro. Ele joga conta em nova cepa. Mentira. Ritmo de vacinação diminuiu em maio na comparação com abril. Obra dele. Grande feito foi desconvidar Luana Araújo por ordem de Bolsonaro”, afirmou.

Postar um comentário

0 Comentários