Sesau mantém em seu quadro de pessoal servidores exercendo ilegalmente a profissão

 

Levantamento do Conselho Regional de Administração de Rondônia mostra que a Secretaria Estadual de Saúde mantém em seu quadro de pessoal servidores exercendo ilegalmente a profissão privativa de administradores, configurando exercício ilegal da profissão.

O secretário de Saúde, Fernando Máximo, já foi alertado sobre a ilegalidade há mais de noventa dias, mas não consta que tenha tomado qualquer atitude para solucionar o problema, o que pode lhe trazer sérias complicações no Ministério Público e no Tribunal de Contas.

Enquanto ocupa os cargos ilegalmente com estes servidores, Fernando Máximo recusa-se a chamar os aprovados no concurso de 2017, alegando não haver vagas. São mais de 125 administradores esperando ser chamados, inclusive administradores especialistas em administração hospitalar.

Pelo menos oito cargos na Sesau, inerentes aos administradores, são ocupados por profissionais com formação em outras áreas, ou seja, são considerados leigos no setor em que atuam. Também há cargos cujos titulares possuem problemas no registro e foram chamados a se regularizar perante o Conselho.  (Tudorondonia) 

Postar um comentário

0 Comentários