Cirone Deiró defende audiência pública para apresentação do projeto de concessão e cronograma de investimentos em obras da BR 364

 A população tem cobrado informações sobre a concessão da rodovia e os novos investimentos que serão realizados no trecho de Vilhena até a divisa com o Acre

Cirone Deiró defende audiência pública para apresentação do projeto de concessão e cronograma de investimentos em obras da BR 364

“A cada tragédia que ocorre na BR 364 o luto se abate sobre os rondonienses. Na manhã do último, dia 13 de julho, o acidente entre um caminhão tanque e um micro ônibus que transportava passageiros de Buritis para fazer tratamento em Porto Velho, mais uma vez, deixou os rondonienses enlutados,” desabafou o deputado Cirone Deiró (PODE), ao defender a duplicação e sinalização da BR 364 em toda a sua extensão. Durante sessão da Assembleia Legislativa, o deputado apresentou proposta para a realização de audiência pública com a presença do Ministério da Infraestrutura e da Comissão de Infraestrutura do Senado, presidida pelo senador Marcos Rogério, para que sejam apresentados o programa de concessão, de investimentos e execução de obras de duplicação e sinalização previstos para a BR 364.

De acordo com o deputado Cirone Deiró, o Ministério da Infraestrutura programou para 2022 a concessão de 806,3 quilômetros da BR-364, que inclui o trecho entre o entroncamento com a BR-174 em Comodoro-MT até Porto Velho-RO. “A expectativa de novos investimentos na referida rodovia traz grande esperança para a população de mais de 2,5 milhões de pessoas que vivem nos estados de Rondônia e Acre. Os investimentos com a duplicação da referida rodovia, reduzirão drasticamente os casos de acidentes com vítimas fatais. Acidentes esses provocados pela falta de sinalização e péssimas condições de trafegabilidade nessa que é a única via de acesso, tanto para o transporte de carga, quando para veículos leves para os moradores de Rondônia e dos estados vizinhos,” esclareceu.

O deputado Cirone Deiró destacou que para o trecho que trata a concessão do total de 783,9 km de pista simples, apenas 22,4 km de pista são duplicados. Cirone lembrou que a BR 364 é a única via de acesso terrestre dos estados do Acre e Rondônia que faz a ligação por terra com as regiões do Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, especialmente para o abastecimento do comércio local. “É pela BR 364 que são transportados os grãos, produzidos em Rondônia e parte do Estado do Mato Grosso até a hidrovia do rio Madeira. A rodovia BR 364 é o único modal de transporte que tem impulsionado de forma estratégica o desenvolvimento dos estados do Acre e Rondônia, explicou.

O deputado Cirone Deiró tem recebido inúmeras reivindicações do setor produtivo agrícola, empresarial e industrial rondoniense sobre a necessidade de duplicação da referida rodovia como forma de melhorar o transporte de cargas e garantir maior segurança aos usuários. Segundo ele, essas reivindicações revelam que a população quer e precisa ser informada sobre a agenda do programa de concessão da referida rodovia, bem como os investimentos que serão realizados. “Não é exagero afirmar que a BR 364 faz parte do cotidiano dos rondonienses, de forma direta ou indireta,” disse.

Cirone Deiró disse que o presidente Alex Redano e demais deputados compartilham dessa mesma preocupação e estão empenhados em realizar a audiência pública em parceria com o senador Marcos Rogério, presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado e a bancada federal de Rondônia. Segundo ele, durante a audiência pública o Ministério da Infraestrutura deverá apresentar ao setor produtivo dos estados do Acre e Rondônia o projeto de concessão, cronograma de execução, investimentos previstos e outras informações relacionadas a concessão da rodovia 364 da divisa de Vilhena com a Mato Grosso até a divisa de Rondônia com o Acre.

Para os rondonienses a BR 364 é a espinha dorsal do desenvolvimento dos municípios rondonienses. Cirone Deiró disse que ainda se lembra que no início da colonização do estado era apenas uma estrada de chão batido em meio da floresta, por onde chegavam os pioneiros trazendo nas bagagens os sonhos de construir um estado próspero e acolhedor. Segundo ele, na época da chuva eram os atoleiros, e na época da seca eram os areões que atrasavam as viagens. “A construção do asfalto na década de 80 trouxe grande perspectiva para nós que sempre acreditamos no potencial dessa terra. Após mais de 40 anos, da construção do asfalto é chegado o momento de termos a duplicação dessa rodovia nos mesmos moldes daquelas que cortam os estados do centro do Brasil,” finalizou.

Texto: Edna Okabayashi-ALE/RO

Foto: Assessoria

Postar um comentário

0 Comentários