Testes rápidos para identificar doenças virais são realizados no Presídio Feminino de Vilhena

 

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), tem garantido assistência à saúde da população privada de liberdade. Em Vilhena, o atendimento de atenção básica, prevenção e tratamento vem sendo ofertado nas unidades prisionais. De acordo com o gerente regional  de saúde, Sérgio Mattos, na manhã desta quinta-feira (29), uma ação foi realizada para as reeducandas e servidores do Presídio Feminino.

Conforme a enfermeira da 3ª regional de saúde, Alefe Nascimento, a iniciativa contou com o apoio de mais três residentes e faz parte da Campanha Julho Amarelo, mês dedicado à campanha de prevenção e diagnóstico das hepatites virais. O objetivo é reforçar as ações de vigilância, prevenção e controle das hepatites no sistema prisional.

Agentes prisionais também receberam atendimento da equipe de saúde

A diretora-geral do Presídio Feminino, Cristiane da Silva Garcia, informou que 31 reeducandas receberam atendimento da equipe de saúde. “Foram realizados os testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites, além da vacinação da gripe. As reeducandas também realizaram o exame preventivo para precaução e diagnóstico do câncer de útero”.

Além do presídio, a ação, informou Alefe, também já foi realizada na Casa de Detenção e na Casa do Menor, totalizando 108 atendimentos entre reeducandos e servidores. “Nas duas ações, tivemos alguns casos positivos para sífilis e hepatite. Quando há casos positivos dessas doenças, realizamos o encaminhamento de acordo com a necessidade de cada paciente. Para sífilis já entramos com a notificação e medicação. Já para os casos de HIV, hepatite B e C fazemos o encaminhamento para o Serviço de Assistência Especializada – Centro de Testagem e Aconselhamento (SAE-CTA) do município”.

Na unidade, os reeducandos realizam outros exames, verificando a carga viral e se a doença está ativa, para dar início ao tratamento correto, conforme a necessidade de cada um. Sobre o exame preventivo, a enfermeira ressalta que o resultado demora cerca de 40 dias para chegar.

E dando continuidade aos serviços de atendimento à saúde dos reeducandos, a ação também acontecerá no Presídio de Segurança Máxima Cone Sul, na próxima semana.

Folha dos Municipios

Postar um comentário

0 Comentários