Deputado Lazinho da Fetagro preside a Conferência Estadual Popular da Educação

 O parlamentar disse estar à disposição de toda a classe trabalhadora

Deputado Lazinho da Fetagro preside a Conferência Estadual Popular da Educação

O deputado Lazinho da Fetagro (PT) presidiu nesta quinta-feira a Conferência Estadual Popular da Educação (Conepe). Os participantes apresentaram propostas para melhorar o nível do ensino público, criticaram a condução de políticas públicas por parte de prefeituras e governos Estadual e Federal e discutiram estratégias para conquistar avanços.

O deputado Lazinho da Fetagro agradeceu o presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos) e os servidores da Casa, deu por aberta a conferência e ouviu os participantes.

A presidente do Sintero, Leonilda Simão, teceu críticas ao governo Bolsonaro, dizendo o que considera falta de políticas para a Educação, afirmando que devem ser adotadas ações que atendam “a todos e a todas”. Ela também criticou os parlamentares, afirmando que o “desmonte” na educação tem o aval dos detentores de mandato. A sindicalista disse que trabalhadores tiveram que colocar suas casas à disposição para que a educação pudesse acontecer nesse período de pandemia.

O presidente do Fórum Nacional da Educação, Heleno Araújo, participou remotamente da programação. Ele destacou o que chamou de dificuldades na luta nacional em prol da educação e afirmou que a Conferência Nacional Popular da Educação (Conape) é um elemento de mobilização. “A gente coloca os estudantes para marchar junto conosco”, destacou.

A ouvidora-geral da Defensoria Pública, Valdirene Oliveira, disse que a Conape é uma oportunidade de demonstrar o modelo de educação transformadora. Ela afirmou que Estados iniciaram aulas sem cumprir todas as etapas de vacinação e tiveram que voltar atrás. “Houve falhas na aplicação da vacina em grupos prioritários. Não asseguraram aos professores o direito de receber a vacina prioritariamente”, citou.

O assessor da reitoria do Instituto Federal de Educação de Rondônia (Ifro), Walace Soares de Oliveira, explicou que a proposta é ir onde a educação vai. “Sem a educação voltamos aos instintos animalescos, onde o forte subjuga o fraco”, especificou, dizendo que o governo não libera professores para que façam o curso de mestrado.

A presidente da CUT, Elzilene Nascimento, afirmou que educação sempre foi e sempre será primordial. “Essencial é a vida dos trabalhadores em educação” adiantou. Ela defendeu educação popular, gratuita e de qualidade para mudar os rumos do Brasil.

O vereador Carlos Afonso, de Jaru, conhecido como Professor Carlos (Pros), criticou o que classificou como a falta de apoio para os professores, e o fato de não serem liberados para cursar mestrado.

Silvanildo de Souza Martins, representando Sindicato dos Professores (Simprof), afirmou que não foi oportunizada para a classe a formação continuada. Ele disse defender o direito das crianças e jovens por uma educação de qualidade.

O deputado Lazinho da Fetagro lembrou que a Casa tratará da reforma administrativa, a pedido dele e do deputado Anderson do Singeperon (PROS). Lazinho disse que todas as reformas foram “deformas”, porque deformaram tudo. O parlamentar disse estar à disposição de toda a classe trabalhadora.


Texto: Nilton Salina-ALE/RO

Foto: Diego Queiroz-ALE/RO

Postar um comentário

0 Comentários