Dos gols e protagonismo até a frustração: a passagem de Thiago Galhardo pelo Inter

 

Após brilhar com Eduardo Coudet e virar reserva, atacante deixa o Inter com 34 gols marcados em 82 jogos para reencontrar treinador argentino na Espanha




Durou 18 meses a passagem de Thiago Galhardo no Beira-Rio. Contratado como uma aposta, o jogador viveu dias de artilheiro e protagonista no Rio Grande do Sul. Mas a história de sucesso azedou com o passar dos meses, inclusive entre seus agora ex-companheiros.

O atacante irá reencontrar Eduardo Coudet no Celta, da Espanha, em busca de retomar a melhor fase da carreira. Um empréstimo de 10 meses, com opção de compra, irá refazer a parceria com o técnico argentino em uma das principais ligas do mundo.

Thiago Galhardo chegou ao Inter em 2020, referendado por uma bom Brasileirão pelo Ceará. Foi o artilheiro do Vozão com 12 gols, e uma assistência, em uma campanha na luta contra o rebaixamento.

Na época, o executivo Rodrigo Caetano conseguiu acertar com os representantes do jogador que ele saísse de um avião em Salvador, onde acertaria com o Bahia, e viesse a Porto Alegre para o maior desafio até então da sua carreira.


Um confronto em 2018, empate em 1 a 1 entre Vasco e Racing pela Libertadores, colocou o então meia-atacante no radar de Coudet. Dois anos depois, no comando do Inter, o técnico argentino recomendou a contratação do jogador, apesar da carreira irregular, alternando boas temporadas e anos de baixo rendimento.

A parceria no Inter deu bons resultados nos primeiros meses. De meia, Galhardo foi adiantado e mostrou bom desempenho como um atacante. Até mesmo como centroavante. Os primeiros meses mostraram o acerto na aposta.

Mas foi na volta das competições após a parada inicial causada pela pandemia, com a lesão de Guerrero em agosto, que Galhardo assumiu de vez o protagonismo no Inter. Gols, assistências e boas atuações se acumularam.

A primeira renovação, em junho, aumentou seu salário e o contrato até 2021. Em novembro, como principal nome da equipe, mais um reajuste e a ampliação do vínculo até dezembro de 2022.

Thiago Galhardo e Eduardo Coudet, na vitória do Inter sobre o Atlético-GO — Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter

Thiago Galhardo e Eduardo Coudet, na vitória do Inter sobre o Atlético-GO — Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter

Até que alguns dias depois de se tornar um dos maiores salários do Beira-Rio, Coudet pediu para deixar o Inter e rumou para a Espanha. Sem o técnico, Galhardo voltou aos dias de instabilidade. O faro de artilheiro, que o levou a ser chamado por Tite para a Seleção, se perdeu.


Os números de Thiago Galhardo no Inter

Com Coudet:

  • 39 jogos
  • 21 gols
  • 9 assistências

Sem Coudet:

  • 43 jogos
  • 13 gols
  • 2 assistências

Marcou apenas duas vezes sob o comando de Abel Braga na arrancada do Inter até o topo da tabela, e viu Yuri Alberto assumir a titularidade do time na reta final da temporada. No diagnóstico da direção colorada, a postura do jogador mudou após a convocação para a Seleção Brasileira.

E a situação ficou ainda pior com o insucesso na tentativa de transferência para o Al Hilal, da Arábia Saudita. E até mesmo o vestiário se tornou um local de menor aceitação ao jeito de Galhardo, de acordo com fontes ouvidas pelo ge.

O episódio mais recente tornou ainda mais difícil a aceitação com os colegas. Em um dos corredores do CT do Parque Gigante, Galhardo questionou publicamente o executivo Paulo Bracks sobre a sua utilização entre os titulares às vésperas da partida contra o Fluminense. Acabou retirado do jogo.

A ausência virou um duelo de versões entre clube e representantes do jogador, que disseram que a liberação foi um pedido de Galhardo para resolver problemas particulares. Em sua nota de despedida, Galhardo falou sobre as alegações sobre seu comportamento:

– Muita coisa foi falada nessas últimas semanas, mentiras, insinuações e boatos disseminados por pessoas que, não entendo o porquê, quiseram tentar manchar a linda história que construí ao longo da minha passagem pelo clube. Mas preferi o silêncio, pois a verdade sempre aparece. Não importa quanto tempo demore. Ninguém é perfeito, logicamente todos nós podemos cometer erros, e nem sempre vamos agradar a todos. Porém sempre me dediquei, honrei com meus compromissos, nunca me omiti dentro e fora de campo e dei a cara a tapa inúmeras vezes para defender os interesses do Internacional.

Mas agora veio o chamado de Coudet para um novo desafio. O período longe do Beira-Rio trará uma economia de quase R$ 5 milhões aos cofres do Inter, que não fez nenhum esforço para manter o jogador, e a expectativa de que Galhardo reencontre seu melhor futebol na Espanha.

Tite cumprimenta Galhardo na chegada ao hotel da Seleção em São Paulo — Foto: Lucas Figueiredo / CBF

Tite cumprimenta Galhardo na chegada ao hotel da Seleção em São Paulo — Foto: Lucas Figueiredo / CBF


Fonte: Ge

Postar um comentário

0 Comentários