Premier League decide não liberar 60 jogadores convocados para a próxima data Fifa


 

Liga que organiza o Campeonato Inglês, a Premier League divulgou comunicado na tarde desta terça-feira informando sobre a decisão de não liberar jogadores convocados para seleções que vão disputar partidas em países da "lista vermelha" do Reino Unido (risco de contaminação por Covid-19). Os clubes da Espanha, com o apoio de La Liga, adotaram a mesma posição.

A Fifa ainda não se pronunciou oficialmente sobre os casos na Inglaterra e na Espanha.

A medida, apoiada de forma unânime pelos clubes que disputam a Premier League, afetará 60 jogadores de 19 times ingleses diferentes. Esses atletas têm viagens previstas para 26 países fora do Reino Unido na próxima data Fifa, em setembro. Esse é o caso de nove convocados da seleção brasileira para os próximos jogos pelas eliminatórias sul-americanas, contra Chile, Argentina e Peru.

  • Chelsea: Thiago Silva
  • Everton: Richarlison
  • Leeds: Raphinha
  • Liverpool: Alisson, Fabinho e Roberto Firmino
  • Manchester City: Ederson e Gabriel Jesus
  • Manchester United: Fred

    Cerca de 60 países estão na "lista vermelha" do Reino Unido, incluindo o Brasil e outras nações que disputam as eliminatórias sul-americanas.

    De acordo com as orientações do governo britânico, se a pessoa esteve em um país ou território que faz parte da "lista vermelha", mesmo que ela esteja totalmente imunizada, ela só terá a entrada no Reino Unido permitida se for britânica ou irlandesa, ou tiver os direitos de residência. O indivíduo também tem que apresentar teste negativo de Covid-19 antes de embarcar e cumprir quarentena após chegar, com mais dois exames de coronavírus a fazer.

    A decisão da liga inglesa também cita a atual posição da Fifa de não ampliar a exceção de liberação temporária para jogadores que devem ficar em quarentena ao retornar do serviço internacional.

    — Extensas discussões foram realizados com a federação de futebol inglês (FA) e o governo para encontrar uma solução, mas por causa das preocupações com a saúde pública no que diz respeito a viajantes oriundos de países da lista vermelha, nenhuma exceção foi garantida — afirmou a Premier League, em nota.

    A liga do Campeonato Inglês alega que se os jogadores tiverem que cumprir quarentena na volta, não só o bem-estar deles como a condição física seriam "significativamente impactados".

    Além disso, eles desfalcariam seus respectivos times em duas rodadas da competição nacional, em um jogo pelos torneios continentais, e também em compromisso pela Copa da Inglaterra.

    A quarentena seria de 10 dias na volta à Inglaterra, mas isso não incluiria o período necessário para o jogador recuperar a forma.

    Os clubes também demonstraram insatisfação com a decisão da Fifa de prolongar a janela de jogos para as seleções da Conmebol em setembro e em outubro, de nove para 11 dias. A Premier League ressalta que a entidade máxima do futebol internacional deve chegar a uma "conclusão agradável" a todos os envolvidos na questão.

    Fonte: Ge 

    Postar um comentário

    0 Comentários