Volta às aulas aumenta morte de professores por covid

 

A faixa etária soma 297 óbitos até o momento, o que corresponde a 39% de todas as mortes da categoria. Os números foram obtidos pelo Pólis por meio da Lei de Acesso à Informação junto à Secretaria Municipal de Saúde e ao Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe.

 
 
A cidade de SP registrou neste ano uma alta de 130% nas mortes por Covid-19 entre profissionais da educação de 18 a 60 anos, em relação a 2020. O dado é de estudo do Instituto Pólis.
 

Ao todo, foram registradas 756 mortes de profissionais de educação na capital paulista desde o início da epidemia —sendo que 429, isto é, 57% delas ocorreram nos primeiros seis meses deste ano.

As mortes entre profissionais da educação idosos, por sua vez, está em queda. Se no ano passado elas representavam 74% das vítimas da Covid-19 entre o grupo, neste ano o índice caiu para 53,6%.

Outro ponto alarmante são as mortes por Covid-19 entre crianças e adolescentes. De março de 2020 a março de 2021, a cidade registrou 34 óbitos a cada 1 milhão de habitantes entre 0 e 18 anos.

Folha de S. Paulo

Postar um comentário

0 Comentários