Médico vilhenense revela drama provocado por pacientes anti-vacina; em Corumbiara, pastor estaria orientando féis a não tomar imunizantes

 


Profissional de saúde explica a importância da vacinação


Após constatar uma situação dramática no Hospital Regional de Vilhena, do qual é diretor clínico, o médico André Luiz de Oliveira resolveu expor o caso, como forma de alertar a população sobre a importância de tomar a vacina contra a Covi1-19.

Ontem, em seu plantão, o profissional de saúde percebeu que, dos 6 internados, cinco deles não haviam sido imunizados, e por vontade própria. Em plantões anteriores, a situação era similar: dos 9 pacientes em tratamento contra o novo Coronavírus, apenas um havia se vacinado.

André revelou ao FOLHA DO SUL ON LINE que, em conversa com um colega da cidade de Corumbiara, ouviu dele que o pastor evangélico de um distrito daquele município estava orientando os fiéis a recusarem o imunizante.

Um dos membros da denominação ficou em estado tão grave que precisou ser transferido para Vilhena. “A maioria diz que tem medo de tomar a vacina e morrer. Esse temor, muitas vezes alimentado por pegações religiosas, tem causado muitos problemas”, argumenta o médico.

Sobre a situação, o diretor hospitalar explica: “a vacina, como qualquer outro medicamento, não tem 100% de eficácia, mas quem é imunizado tem menos chances de contrair o vírus; e, se pegar, tem menos chance de morrer pela doença que ele provoca”.

Fonte: Folha do Sul

Postar um comentário

0 Comentários