Medina diz que chega em sua melhor fase em busca do tri: "Significa muito pra mim"


 

Bicampeão vai esperar mata-mata com Italo Ferreira, Filipe Toledo, Conner Coffin e Morgan Cibilic para definir seu adversário na decisão da WSL Finals

Tudo indica que nesta segunda-feira, em Trestles, na Califórnia (EUA), sairá o campeão mundial de surfe da temporada 2021. A essa altura, no formato de disputa dos últimos 45 anos, esse título já teria um dono: Gabriel Medina. O bicampeão é o líder isolado do ranking, com pontos suficientes para não ser ultrapassado na última etapa. Só que, dessa vez, ele terá que esperar os outros 4 surfistas que estão abaixo dele se enfrentarem em um mata-mata na WSL Finals para definir quem vai enfrentá-lo na grande decisão. Uma chamada para o início das disputas vai acontecer às 11h30 (horário de Brasília).

A WSL Finals vai definir a partir dessa temporada os campeões mundiais em uma mata-mata, com os 5 primeiros do ranking masculino e feminino. Entre os candidatos a impedir o tri de Medina estão ninguém menos do que o campeão olímpico e mundial, Italo Ferreira (2º do ranking), Filipe Toledo (3º), o americano Conner Coffin (4º) e o australiano Morgan Cibilic (5º). Tatiana Weston-Webb é a única representante do Brasil no feminino.

Para se tornar o primeiro brasileiro tricampeão mundial de surfe e se igualar a lendas do esporte como Mick Fanning (AUS), Tom Curren (EUA) e Andy Irons (HAV), Gabriel terá que superar na decisão da WSL Finals, em uma série melhor de 3, o surfista que conseguir sobreviver ao mata-mata. E tudo isso acontecerá em apenas 1 dia de competição.

- Esse terceiro título mundial significaria muito pra mim. É difícil você sair da zona de conforto, se superar. Eu acho que eu ganhando esse título mundial, acho que eu sentiria isso. Então é isso que eu vou procurar. Eu quero essa superação, eu quero evoluir, quero crescer e tem sido irado na verdade esse ano. Vivi momentos incríveis. Aprendi muito, conhecendo pessoas, viajando, tendo diferentes experiências do que eu estava acostumado a ter. E isso já vale pra caramba. Agora é aproveitar o momento. Eu quero surfar cada onda com vontade, com aquele sentimento que eu sou muito grato pelo surfe. E, com a vontade de ganhar que eu tenho, as coisas vão acontecer - disse Medina, em entrevista à Liga Mundial.

Número 3 do mundo, Filipinho será o primeiro brasileiro em ação no dia decisivo. Ele encara o vencedor do duelo entre Coffin (4º) e Cibilic (5º). Se vencer seu confronto, Toledo medirá forças com Italo. Se isso acontecer, o título mundial já ficará com o Brasil. E é essa a aposta de Medina:

- Eu acho que vai ser uma final brasileira. Eu acho, é a minha opinião. Agora, com quem eu não sei, porque os dois surfistas que a gente tem, que é o Filipe e o Italo, são surfistas de alto nível. Que têm a capacidade de ganhar um evento ou um título e qualquer coisa. Então, essa é uma bateria difícil. Mas é assim. Estou confiante não só pelos meus títulos mundiais, mas pelos meus treinos e pela minha dedicação. É isso que me dá confiança. Eu só quero aproveitar cada surfada e fazer o meu melhor. Se Deus quiser, quero tirar minha nota dez nessa final. Faz tempo que eu não consigo a nota dez. Está difícil. Mas, se Deus quiser, vai dar tudo certo.


Fonte: Ge

Postar um comentário

0 Comentários