Cartunista Nani morre aos 70 anos vítima da Covid-19 em Belo Horizonte

 


Mineiro de Esmeraldas, na Grande BH, criador da tira Vereda Tropical estava internado havia uma semana. Ele trabalhou ao lado de Chico Anysio por 20 anos, escreveu livros e foi reconhecido em diversas premiações

O cartunista Nani, criador da tira Vereda Tropical, morreu nesta sexta-feira (8), em Belo Horizonte. Aos 70 anos, ele foi vítima da Covid-19, segundo informações da família.

Nani deixa dois filhos, Juliano e Danilo, uma neta, a Manuela, e a mulher, Inez.

O corpo será cremado neste sábado (9) às 10h, no Parque Renascer, em Contagem, Grande BH.

Nani ao lado da netinha Manuela em seu último aniversário, em Esmeraldas, para onde se mudou no início de 2021 para se manter isolado durante a pandemia.  — Foto: Arquivo pessoal

Nani ao lado da netinha Manuela em seu último aniversário, em Esmeraldas, para onde se mudou no início de 2021 para se manter isolado durante a pandemia. — Foto: Arquivo pessoal

Mineiro de Esmeraldas, na Região Metropolitana, ele estava fazendo isolamento em sua cidade natal desde o início deste ano, quando se mudou do Rio, mas foi infectado pelo coronavírus.

De acordo com a família, Nani estava internado havia uma semana na capital mineira.

Nani ao lado dos filhos, Juliano e Danilo, e da netinha, Manuela. — Foto: Arquivo pessoal

Nani ao lado dos filhos, Juliano e Danilo, e da netinha, Manuela. — Foto: Arquivo pessoal

Nani fazia parte do grupo de risco para a Covid-19. Ele ficou conhecido na medicina brasileira por ter passado por três transplantes de fígado em apenas um mês.

Conhecido em todo o país pelo apelido, Ernani Diniz Lucas nasceu em 27 de fevereiro de 1951. Aos 20 anos, começou a carreira em Belo Horizonte, publicando charges. Pouco depois, em 1973, mudou-se para o Rio de Janeiro.

Ao longo da trajetória profissional, colaborou com O Pasquim e foi chargista de O Globo. Também publicou em veículos como Jornal dos Sports, Última Hora e O Dia.

Algumas tirinhas publicadas por Nani em sua rede social, que era bastante produtiva. A mais recente foi postada no dia 24 de setembro. — Foto: Nani / Reprodução

Algumas tirinhas publicadas por Nani em sua rede social, que era bastante produtiva. A mais recente foi postada no dia 24 de setembro. — Foto: Nani / Reprodução

O cartunista de humor ficou conhecido por ser o criador da tirinha Vereda Tropical, publicada em diversos jornais pelo brasil na década de 1980. A tira satirizava a situação política e social brasileira da época.

O crachá de Nani na TV Globo. Ao relembrá-lo em um post recente no Instagram, ele escreveu: "Aqui meu crachá de Bozó", referindo-se ao personagem de Chico Anysio, com quem trabalhou por 20 anos. — Foto: Reprodução

O crachá de Nani na TV Globo. Ao relembrá-lo em um post recente no Instagram, ele escreveu: "Aqui meu crachá de Bozó", referindo-se ao personagem de Chico Anysio, com quem trabalhou por 20 anos. — Foto: Reprodução

Na TV Globo, Nani trabalhou ao lado de Chico Anysio por 20 anos, como roteirista em Chico Total e Escolinha do Professor Raimundo .


Segundo os amigos, era nos bares de Esmeraldas que ele se inspirava para os roteiros que escrevia para a Globo. Ao ouvir os amigos nos barzinhos, ele criava bordões que seriam usados, por exemplo, nos episódios com o Chico Anysio.

Ele também escreveu textos para os programas Casseta & Planeta, Sai de Baixo e no Zorra.

Ao longo da carreira, Nani foi reconhecido por autoridades do humor e reconhecido por premiações internacionais.

Cartunista Nani morre em Belo Horizonte — Foto: Reprodução/TV Globo

Cartunista Nani morre em Belo Horizonte — Foto: Reprodução/TV Globo

É ainda autor de diversos livros. Entre eles, estão “Batom na cueca”, “É grave, doutor?” e “Humor politicamente incorreto”.

Seu mais recente livro, "Tem outra palavra na palavra", foi lançado em 31 de agosto deste ano.


Fonte: g1

Postar um comentário

0 Comentários