Banner

Em 24h, polícia faz cinco prisões por agressões e violência doméstica em Porto Velho

 


Em um dos casos, vítima afirmou que era agredida pelo companheiro há dez anos. Presos foram levados à Central de Polícia

Ameaças, xingamentos, maus-tratos e abusos são palavras que estavam nos relatos de cinco vítimas de violências ocorridas em um período de 24h, no fim de semana, na Central de Flagrantes em Porto Velho.

Após serem ouvidos, os agressores foram presos.

Presa por ameaçar esposo e maus-tratos da filha

O primeiro caso foi de uma mulher de 28 anos presa por maltratar a filha de um ano e ameaçar o esposo, um homem de 37 anos. A ocorrência foi registrada pela vítima, o pai da criança.

Enquanto a Polícia Militar (PM) estava na casa da família, o pai da criança relatou que estava ingerindo bebida alcoólica com a esposa, a mãe da menina, na casa de amigos. A mulher ficou embriagada e começou a agredir a filha do casal, uma bebê de um ano.

Por conta a ação da mulher, populares que estavam no local tentaram agredir a mulher, porém foram impedidos pelo pai da menina.

Já na Central de Flagrantes, a mulher ameaçou o esposo de morte na presença dos PM’s. Diante dos fatos foi dada voz de prisão a ela pelos crimes de maus-tratos e ameaça.

Ameaça de irmão agressivo

Já no bairro Socialista, a PM atendeu o caso de uma mulher de 47 anos que havia sido ameaçada pelo irmão. O suspeito também ameaçou toda a família e vizinhos com uma faca.

A vítima explicou que o agressor, um homem de 59 anos, chegou alterado na vila de apartamento, pois havia ingerido bebida alcoólica e usado drogas.

O agressor tentou entrar na casa, mas como o portão estava trancado e não conseguiu, pulou o portão, entrou na residência da família, pegou uma faca e começou a bater nas janelas e portas e ainda ficava riscando a faca paredes, causando “terror” nos familiares, entre eles uma idosa de 91 anos e duas crianças.

Diante do relato da mulher, a PM deu voz de prisão ao homem, que foi levado à Central de Flagrantes.

Socos do marido

 

Já o terceiro caso foi de uma jovem de 24 anos agredida a socos pelo companheiro, um jovem de 19 anos. O crime aconteceu no Residencial Orgulho do Madeira em Porto Velho.

A vítima narrou à PM que, após uma discussão, o companheiro a ameaçou de morte e saiu do apartamento onde moram juntos. No entanto, ele retornou transtornado e depois de iniciar outra discussão partiu para cima dela, a enforcou, empurrou contra a parede e desferiu socos na cabeça dela. Em seguida ele fugiu.

Após procurar a sogra, a vítima disse que o agressor estava na casa dela, no bairro Aponiã. Mediante a informação da sogra, a vítima temendo que ele a matasse, procurou ajuda na base da PM do bairro Jardim Santana.

Após ouvir a vítima, a PM foi à casa da mãe do agressor. No local, o homem atendeu a polícia e disse que estava disposto a esclarecer os fatos, afirmando que ele foi agredido primeiro pela vítima.

Diante do relato dos envolvidos, a PM levou o casal à Central de Flagrantes. Na delegacia o homem insistiu em pegar o celular da mulher. Enquanto estava na ligação, ele foi andando para a porta de saída e diante disso for determinado que desligasse o celular. No entanto, ele desobedeceu a ordem de parada e foi preso por desobediência.

No terceiro caso, a PM foi acionada para atender uma ocorrência de lesão corporal no bairro Castanheira. Ao chegar no local, a vítima, uma mulher de 57 anos, disse aos policiais que tem um relacionamento de 10 anos com o agressor.

A vítima ainda disse que por várias vezes, durante o período que estão juntos, foi agredida fisicamente, moralmente e psicologicamente por ele. Ela ainda ressaltou que ele é alcoólatra.

A mulher contou que a discussão começou quando ela o indagou sobre os amigos e o motivo de ficar bebendo durante a noite. Em reação, ele jogou um copo com cerveja nela, que a atingiu no braço esquerdo. Depois o homem pegou o rodo e agrediu a companheira.

Ela contou que por medo de morrer, pegou uma faca de cozinha para se defender dele. Ele, tentou golpeá-la com um chute e em seguida fugiu do local.

Após ouvir a vítima, a PM foi à casa da mãe do suspeito, onde ele foi encontrado. Durante a abordagem e revista pessoal ao autor do fato, este confirmou que teria ocorrido uma discussão entre o casal e jogou um copo contra a vítima. Mas negou as demais acusações.

Diante dos fatos foi dada voz de prisão ao conduzido. A vítima pediu medida protetiva contra o agressor.

Facas em punho

Uma mulher de 27 anos acionou a PM após ter sido agredida com socos e ameaçada pelo companheiro, com que vive há três anos e tem duas filhas, no bairro Tancredo Neves. O crime foi registrado como dano/depredação e ameaça no sábado (21).

Quando a polícia chegou ao endereço do caso, na frente da vila onde o casal mora, a vítima, que estava nervosa e com uma criança no colo, apontou o companheiro caminhando na esquina. Ele foi abordado de imediado pelos policiais, pois estava com duas facas em punho.

À polícia, a vítima disse que o homem havia saído na noite anterior e voltou às 8h do sábado, embriagado. Sem motivos, segundo ela, ele começou a xingá-la e depois, enfurecido, a empurrou e deu um soco na cabeça.

A vítima ainda disse que depois de agredi-la, o homem pegou duas facas e disse que a mataria. Momento em que ela pegou um dos filhos e se trancou em um quarto e tentou ligar para polícia.

Temendo que ele entrasse no cômodo e a matasse, ela fugiu para rua com a criança no colo, instante em que o agressor pegou o aparelho celular dela e o quebrou. Depois de ouvir a mulher, o agressor recebeu voz de prisão e foi levado à Central de Flagrantes.

Postar um comentário

0 Comentários